logo

A FAMÍLIA NA LITERATURA

family-anno-1318682_960_720O mês de dezembro pode ser considerado o mês da família. É um tempo de reunir toda a família, trocar presentes, fazer reflexões e em alguns casos “lavar a roupa suja” A proposta é de fazer um levantamento das obras literárias  que tratam temas sobre a família.

Na literatura, pode-se dizer que, mesmo que se tenha um protagonista específico, o tema abordado se refere, quase sempre, às relações familiares e/ou de casal. Tanto para simples leitura quanto para trabalhar em psicoterapia abordando a família sob o olhar de  aspectos diversos, a seção  Eu recomendo, apresenta os seguintes livros:

A trilogia da família– de Lya Luft -uma serie de três livros sobre a história de família, sempre sendo uma mulher a narradora. São os livros: Reunião de família (1982), As parceiras (1980) e A asa esquerda do anjo (1981). Neste livros é possível  trabalhar questões importantes para a abordagem sistêmica como a estrutura familiar, padrões de interação, mitos segredos e tabus. Além das  metáforas, tão valorizadas na abordagem sistêmica.

Estes livros retratam o que disse Lya Luft em entrevista: “Todos os meus livros são rebeldia contra a autoridade e contra a morte”

Laços de família (1960), de Clarice Lispector,  é considerado e citado por vários autores e estudiosos da literatura  como o melhor de todos os livros de contos (e, no caso, sobre família). É composto por 13 contos centrados no aprisionamento dos indivíduos pelos laços familiares. Os contos, em geral, tratam dos estereótipos e preconceitos que vão se repetindo através das gerações. .

Jóias de família (1990 1ª. edição) de Zulmira Ribeiro Tavares. Esta obra foi indicada para o vestibular 2012 da UFMG. De forma metafórica, a família burguesa da década de 1930 é retratada, em suas máscaras, que expressam as contradições sociais que geram e/ou são geradas por mentiras, ilusões e falseamento da realidade.

Album de família (2ª. Ed 2015)Lino de Albergaria. Neste livro infanto juvenil, a bela relação entre avós e netos permite resgatar o passado e ter esperança no futuro. É o que vive Manuela, protagonista do livro. No convívio com os avós, que se mudam para sua casa, ela descobre um novo mundo nas histórias, fotografias e músicas revividas por eles. 

A vida não é justa (2012) e Segredos de justiça (2014) de  Andréa Pachá. A autora, juíza da vara de família do Rio de Janeiro, reúne alguns casos que a impressionaram diante de uma realidade, muitas vezes cruel, de relacionamento entre casais e famílias.

Para completar, reproduzo aqui, pois me pareceram interessantes, o  que o site ATL Abandono Temporário do livro indica sobre livros literários que falam sobre família:

Galileia, de Ronaldo Correia de Brito

Revisitando aspectos dos sertões de Guimarães Rosa e de Graciliano Ramos, o romance faz uma ponte entre o mundo arcaico e o moderno, centrando-se na travessia de três primos ao caminho da fazenda onde passaram parte da infância e, mais velhos, deixaram-na sem olhar para trás. A volta, em razão da doença terminal do avô, reatam laços que guardam segredos e rancores de um período de violência que tentaram apagar da memória. Por meio de uma narrativa cortante e lapidar, Correia de Brito prova que não é possível, nunca vai embora.”

O Filho Eterno, de Cristovão Tezza

A autoficção, ultimamente em voga na literatura brasileira, encontra aqui seu coroamento. Um relato comovente e visceral do convívio de um pai-narrador com o filho portador de Síndrome de Down. O tom cru e impiedoso de enxergar os dias asfixiados por essa dependência intratável cobra do leitor pausas de respiro e, mesmo com o peito esmagado, este não consegue se defender do arrebatamento derradeiro.”

K., de B. Kucinski

A busca de um pai pela filha desaparecida durante o regime militar brasileiro é o mote desse romance ímpar na literatura brasileira. Com um domínio técnico admirável, Kucinski constrói um elo com o leitor logo nas primeiras linhas, fazendo com que este, desconcertado, (re)viva o período de opressão e de torturas precisamente remontado por conta de uma narrativa pungente e avassaladora. Uma obra-prima.

 

 

 

.

 

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.