logo

A IMPORTANCIA DO BRINCAR NA VIDA DAS CRIANÇAS

 

Ichinese_checkers       Isadora Borges Morato de Andrade

 

Segundo Vygotsky o brincar das crianças tem uma relação com o seu desenvolvimento. O brinquedo cria uma zona de desenvolvimento proximal na criança, isto é, brincando a criança desenvolve funções que estão em processo de amadurecimento e que se tornarão funções consolidadas, estabelecidas no seu nível de desenvolvimento real.

A criança, além de se divertir brincando, ela recria e interpreta o mundo em que vive, se relacionando com este mundo. Quando criança, eu gostava muito de lego e o utilizava para montar minha casa: a sala de televisão, o meu quarto, o quarto da minha irmã, dos meus pais, enfim ‘recriava’ o meu mundo em forma de lego e, a partir disso, o interpretava melhor. Tinha também as brincadeira com os bonecos da barbie e o ken em que cada pessoa que convivia comigo exercia um papel diferente e, desta forma, eu estava aprendendo a me relacionar com o meu mundo e as pessoas ao meu redor, enquanto me divertia.

A brincadeira de “faz-de-conta” leva a criança a ser capaz de desvincular-se totalmente das situações concretas, provendo uma situação de transição entre a ação com objetos concretos e ações com significados, criando uma situação imaginária. Tal brincadeira pode ser também considerada uma forma de linguagem da criança, pois, por meio dela, usando signos e símbolos, a criança se expressa e procura compreender a realidade à sua volta. Eu gostava muito dessas brincadeiras; era professora, bancária, modelo e atriz. Agora percebo que quando brincava entendia melhor o meu universo particular e os papéis que eram exercidos a minha volta.

As brincadeiras também possuem regras, explícitas e implícitas (oferece noção de entendimento às regras ocultas) que fazem com que as crianças se comportem de forma mais avançada. Diante disso, quando brincava de ser professora, por exemplo, seguia as regras de uma escola normal, o que me impulsionava para além do meu comportamento como criança.

Uma das brincadeiras que percebo que foi de muita importância durante minha infância, eram as “cabaninhas” que eu fazia com a ajuda de lençóis, vassouras e alguns móveis, que tinham como produto final a construção da minha casa. Nessa “casa”eu me sentia confortável, levava comida, roupa, e tudo que era necessário ter em uma casa normal. Com essa brincadeira estava dando um novo significado para os objetos que utilizava para montar a “cabaninha” e, a partir disso, estava desenvolvendo a minha capacidade de abstração.

Vygotsky também ressalta que as brincadeiras exercem um importante fator de influência na aquisição da moral, pois as crianças vão internalizando conceitos básicos de relacionamento. Quando brincava de casinha, e era a mãe das minhas bonecas, eu seguia as mesmas normas regidas na minha família, o que me fez ir me constituindo moralmente e internalizando os conceitos básicos do meu relacionamento familiar.

Outras brincadeiras, como jogos de tabuleiro, também fizeram parte da minha infância. O jogo da vida era o meu preferido. Nele você era uma pecinha de plástico e à medida que avançava as casas do tabuleiro você ia avançando para o futuro: se casava, tinha filhos, comprava carros e trabalhava. Nesse jogo, além de compreender melhor o mundo e as experiências na qual iria passar no futuro, também aprendia a lidar com as frustrações quando perdia (aquele que ganhava era o que chegava primeiro no final do percurso e ficava milionário) e a lidar e a conviver com as diferenças, pois,no jogo da vida, as pecinhas, que eram nós seres humanos, passavam por caminhos diferentes e tinham vidas diferentes, assim como na vida real, o que também foi um passo importante da minha constituição moral.

Torna-se válido destacar que na minha infância as pessoas se relacionavam mais diretamente, as crianças não tinham celulares, não conheciam a internet – que ainda não tinha avançado como meio de informação, comunicação e lazer – e os computadores eram somente para brincar de desenhar no paint. Atualmente, o que se nota é que as crianças preferem ficar em casa no celular, no computador, no tablet, usando a internet em redes sociais e site de jogos, ou na televisão jogando vídeo game, do que ficar brincando de casinha, carrinho ou esconde-esconde com os amigos.

As formas de brincar mudaram bastante desde minha infância até hoje com o crescimento e o avanço de algumas tecnologias. No entanto, mesmo perante a essas mudanças percebo que as crianças continuam se divertindo, ao mesmo tempo em que estão se desenvolvendo e crescendo. Alguns jogos virtuais, como o thesims, substituem as brincadeiras de “faz-de-conta” – nele você constrói sua casa e os personagens que vão morar nela; trabalha, estuda e também cresce com o passar dos dias.Com este jogo, mesmo que virtual, as crianças podem recriar e interpretar o mundo em que vivem. Muitos outros jogos que fizeram parte da minha infância também existem online, como os jogos de cartas e tabuleiro. De fato, independente de como é o brincar, este implica fortemente em um desenvolvimento das crianças.

A partir do desenvolvimento desse trabalho, unindo a teoria de Vygotsky com a minha prática infantil, concluo que através das brincadeiras a criança é capaz de criar situações imaginárias, de compreender o mundo real a sua volta, de se constituir moralmente e, sobretudo de ir se conhecendo, tendo assim a oportunidade de se constituir socialmente, e de expressar o que vem vivenciado no seu contexto familiar e social.

 

Referência

OLIVEIRA, Marta Kohl. Vygotsky. Aprendizado e Desenvolvimento. Um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1993.

 

Isadora Borges Morato de Andrade é psicóloga, formada pela Universidade FUMEC em Dezembro de 2015. Este texto foi escrito no 1º semestre de 2013 (5º período) como trabalho acadêmico.

Contato: isa-morato@hotmail.com

(31) 9 9840-6478

 

 

 

 



2 respostas para “A IMPORTANCIA DO BRINCAR NA VIDA DAS CRIANÇAS”

  1. ceide lemos de souza lima disse:

    Que enriquecedora a sua participação,Isadora!Trouxe o tema CRIANÇA e seu desenvolvimento com um texto claro , simples e esclarecedor. Parabéns !

  2. Dan disse:

    Boa noite. Só estou escrevendo para dizer que gostei da matéria. Parabéns

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.