logo

HINO Á VIDA

Lou Andreas- Salomé 

Tão certo quanto o amigo ama o amigo,

Também te amo, vida-enigma
Mesmo que em ti tenha exultado ou chorado,
mesmo que me tenhas dado prazer ou dor.

Eu te amo junto com teus pesares,
E mesmo que me devas destruir,
Desprender-me-ei de teus braços
Como o amigo se desprende do peito amigo.
Com toda força te abraço!
Deixa tuas chamas me inflamarem,
Deixa-me ainda no ardor da luta
Sondar mais fundo teu enigma.
Ser! Pensar milênios!
Fecha-me em teus braços:
Se já não tens felicidade a me dar
Muito bem: dai-me teu tormento.

 

Este poema, composto em 1881, impressionou profundamente a Friedrich Wilheim Nietzsche,  que compôs uma melodia para acompanhá-lo.  O poema de Lou e a melodia de Nietzshe fazem parte do filme “Quando Nietzsche Chorou”

A imagem é uma reprodução da obra “I am You” do pintor britânico HAMIST BLAKELY.

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.