logo

MÁSCARAS/O QUE PENSAR E COMO AGIR

Lendo uma bibliografia sobre as máscaras encontrei algumas ideias interessantes, sejam de autores conhecidos ou não.

mask-158173_960_720

Alvaro Campos /heterônimo de Fernando Pessoa(1999), em um trecho de seu poema Tabacaria (in poemas), descreve  o processo de criarmos máscaras como ideais de nós mesmos:

Fiz de mim o que não soube
E o que podia fazer de mim não o fiz.
O dominó que vesti era errado.
Conheceram-me logo por quem não era e não desmenti, e perdi-me.
Quando quis tirar a máscara,
Estava pegada à cara.          

Vale a pena ler todo o poema “Tabacaria”                   

 Você concorda?  “É importante termos ciência que desenvolver as personas é fundamental para a saúde mental. porém é fundamental saber qual máscara usar, de acordo co o meio no qual estamos inseridos.a máscara certa para o momento certo. V. conhece a sua?

“Máscaras usadas, são como escudos
Nesse mundo onde vivemos
Onde aparência é tudo” (musica Mascaras/Ernesto Cortazar)

Tira a mascara que cobre o seu rosto
Se mostre e eu descubro se eu gosto
Do seu verdadeiro jeito de ser

O importante é ser você
Mesmo que seja estranho, seja você
Mesmo que seja bizarro, bizarro, bizarro
Mesmo que seja estranho, seja você
Mesmo que seja”

(Trechos da música Máscaras cantada por de Pitty/2003)

“Chega de máscaras! Porque não mostrar quem somos na real? Só temos a ganhar, teremos uma única identidade. Ninguém poderá alegar nada de nós”.
(Jardel de Oliveira)

Se tirarmos todas as máscaras, todas as construções que fizemos de nós próprios ao longo da nossa vida o que é que resta? (Antonio Norton/Oficinapsicologia/2011)

O louco, a delícia de perder as máscaras sociais (Regis Mesquita em Psicologia Racional/2011)

Todos usamos mascaras e chega uma hora em que não podemos tira-las sem arrancar nossa própria pele. André Berthiaume (O Pensador)

‘Por detrás de toda máscara há um ser humano tentando sobreviver em seu meio, buscando a adaptação à sociedade ou grupo ao qual pertence. Portanto, os papéis são importantes. Segue-se, porém, que é relevante a capacidade potencial que todos possuem para desenvolver a criatividade, autonomia e ações pessoal e comunitária. Mas para dinamizá-la, urge reconhecer as múltiplas possibilidades a se desempenhar por meio de novos e essenciais papéis, além dos que já temos”.(Armando Siqueira Neto)



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.