logo

O maior presente da minha vida

imagem de MrGajawy3 por Pixabay cópia

Tânia Nogueira

Tradicionalmente, dezembro é o mês em que damos e recebemos presentes. Alguns são dados com muito amor, com carinho, outros são dados por obrigação, outros como agradecimento, outros para conquistar, outros para bajular.

É Natal! Damos e esperamos, sempre, receber presentes nesta época do ano. Alguns são bem recebidos e outros são ignorados.

É difícil dar e receber presentes. A ARTE DE DAR PRESENTES é essencial para um bom relacionamento. Só é possível dar o presente certo quando nos colocamos no lugar do outro e pensamos o que ele gostaria de ganhar. Geralmente as pessoas não sabem presentear, pois compram coisas como se fosse para si mesmas.

RECEBER PRESENTES, também, É UMA ARTE. Tem pessoas que não sabem agradecer, que recusam a receber, que acha que o outro tem obrigação de dar o que ela quer.

E os presentes que damos a nós mesmos no dia a dia e ao longo da vida? Presentes  que, provavelmente, mudaram e podem vir a mudar a nossa vida .E os Mimos? Pequemos presentes, que nos damos no cotidiano, em busca do prazer.  São coisas que gostamos de fazer e fazemos. Pode ser dançar, nadar, encontrar um amigo, ler um livro de poesia, cantar, comer uma coisa gostosa, etc. 

Quando e como é que nos presenteamos? Sistemicamente falando, nos damos um presente quando fazemos uma escolha que dá certo; quando aproveitamos as oportunidades; quando fazemos o que dá prazer; quando  lidamos com as situações difíceis com sabedoria.

Nem sempre as pessoas têm consciência de que suas ações podem representar um presente para si mesmo, geralmente porque temos a imagem de presentes materiais, que vêm embrulhados e que pode ser tocados (ou trocados).

Raramente,  consideramos as ações que temos e as decisões que tomamos ao longo da vida, como presentes  que marcam nosso caminho e trazem mudanças que transformam nossa trajetória de vida.

Para que possamos refletir  sobre esses aspectos, vamos começar perguntando:: Qual é (foi) o maior presente que v. se deu (ou está dando)  na sua vida?

Algumas pessoas vão dizer que foi a maternidade/paternidade; outras que foi ter escolhido determinada profissão; outras ter feito determinada viagem; outras que foi a compra de um imóvel; outras podem dizer que foi a vivência de um grande amor, entre várias e várias possibilidades.

Particularmente, eu posso dizer que o meu maior presente foi ter escolhido o curso de Psicologia para minha vida profissional. A partir desta escolha, outros presentes foram conquistados. Uma escolha que foi feita e deu certo.

Ao longo da minha carreira profissional aproveitei oportunidades que foram surgindo no meu caminhar e que surgiram diante da seriedade com a qual eu levava meus estudos e trabalho.

Às vezes as pessoas confundem aproveitar oportunidades com sorte. As oportunidades surgem a partir da postura e dos objetivos de cada um.  Isto fez com que aos 23 anos eu já fosse uma professora universitária.

Do começo na Faculdade de Ciências Médicas de MG, como professora, vieram várias outras oportunidades e escolhas tanto na minha vida profissional quanto pessoal.

E para finalizar, podemos observar que o dar presente para si mesmo se relaciona com a autoestima. As pessoas com baixa autoestima não se permitem aproveitar as oportunidades, fazer escolhas, buscar o prazer e ser sábia ao lidar com os obstáculos. Já as pessoas que têm alta autoestima não conseguem enxergar o outro e não sabem que é na relação com as outras pessoas que vamos realizar nossos sonhos e desejos, vamos dar e receber verdadeiros presentes..

Esse tema é apenas um pretexto para que cada um  faça uma reflexão sobre o que v fez (ou está fazendo) com a sua vida. Quais são as escolhas que fez e/ou faz; quais oportunidades que  aproveitou e quais as que deixou escapar; como  lida com as adversidades e o que  faz no dia a dia para ter prazer ou seja,  quais os mimos que v. se faz.

Mas acredito que o o Maior Presente da Minha Vida é aquele que dou a mim mesma: é a forma como vou construindo e traçando  a trajetória da minha vida.



Deixe uma resposta