logo

O OLHAR na Comunicação entre pais e filhos

Tânia Nogueira  

Com certeza várias pessoas se lembram  da imagem, que correu  o mundo, na qual o príncipe Willian  agachava e conversava com seu filho George de três anos- olhos nos olhos-na mesma altura que a criança. Foi um gesto de reconhecimento dos desejos e necessidades do filho.

Antes de prosseguir a leitura, v. pai, v. mãe reflita sobre como v. olha para seu filho, como seu filho te olha. Qual o significado desses olhares? V. se lembra de algum olhar significativo em sua infância? De quem? Como era este olhar?

Como filho (a) reflita sobre o ( s) olhar (es) que v lança para seus pais. O que v. transmite através do seu olhar?

O olhar dos pais é importante para o desenvolvimento da autoestima da criança e da formação de sua concepção de mundo. E o olhar do filho, especialmente do adulto, pode trazer segurança ou insegurança quanto ao futuro, especialmente do idoso.

O objetivo deste texto é refletir sobre a importância e o significado do olhar e ser olhado; podendo. Inclusive,  trazer à tona emoções vivenciadas ao longo de sua história de vida.

Quem não traz consigo a lembrança de olhares significativos em sua vida? O olhar de ternura, de repreensão, o olhar de desprezo, o olhar de medo, o olhar de inveja e vários outros olhares?

É através do olhar que vemos  e somos vistos, que transmitimos a impressão que temos do mundo e que percebemos a impressão que causamos no outro.

Diz Marilena Chauí: “… olhar é, ao mesmo tempo, sair de si  e trazer o mundo para dentro de si…”; o olhar é mais do que o ver, no olhar expressamos o significado que a situação vivida e que o outro tem para nós.

Os mitos trazem muitas histórias de olhares. Através deles,  podemos perceber que mais do que o fato de olhar em si está o significado deste olhar… Narciso não se perdeu de si mesmo por  ter visto sua imagem nas águas, mas por ter adorado a sua própria imagem. As filhas e a mulher de Jó foram transformadas em estátua de sal porque ao olhar para trás transgrediram uma regra. Édipo cegou-se porque mesmo tendo “olhos” não “enxergou” o essencial em sua vida.

Os olhos têm uma força muito grande.  A concepção que tenho do mundo aparece no olhar que lanço ao outro e na leitura que faço do seu olhar. Sergio  Paulo Rouanet fala do olhar sábio, sem preconceito, diz ele: …”só o olhar sábio, instruído pela razão e pela experiência, livre de todas as vendas e de todos obstáculos, pode julgar a realidade e a objetividade do que é visto. É preciso ver tudo, mas é preciso olhar tudo devidamente”

Aprendemos socialmente a nos olhar, olhar o outro com preconceito. Segundo Rouanet o preconceito “mergulha o mundo nas trevas”, pois impede de se ver tal como se é…daí a importância de olhar a si mesmo e ao outro com um olhar que não seja permissivo (que tudo compreende, para tudo perdoar) nem um olhar repressor, que nada perdoa.

As mensagens transmitidas pelo olhar são importantes, não apenas na infância,  mas a cada contato. A troca de olhares é um profundo registro entre seres humanos. A imagem corporal vai se formando a partir do olhar, que de certa forma, funciona como um espelho, que reflete  aprovação/desaprovação, confiança/desconfiança, etc. “O olhar e um instrumento de intercâmbio entre duas imagens corporais. Para que exista  a relação não existe um que olha e outro que é olhado… ambos se olham.

Concluindo, os pais devem ter cuidado com o que transmite aos filhos através da sua postura corporal, e nisto inclui o seu olhar. Quantos pais dizem amar seus filhos, mas não os olha, não enxergam suas reais necessidades e desejos. Quantos filhos, mais do que um smartphone, querem um olhar carinhoso?!

 

Referências bibliográficas

CHAUÍ, Marilena. Janela da alma, espelho do mundo, in O OLHAR. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1988.

ROUANET, Sergio Paulo. Olhar Iluminista in O OLHAR. São Paulo: Editora Companhia das Letras, 1988.

 

 

 

 

 

 

 

 



Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.