logo

O PRESENTE DA (DÁ) ALEGRIA

Tânia Nogueira/Psicóloga

Quem não gosta de ganhar presente? Quem não se lembra de algum (s) presente (s) que ganhou de alguém especial? E de algum presente que deu e que foi especial para quem recebeu? Em nossa cultura é valor dar e, simultaneamente, receber presentes. Em algumas ocasiões, como por exemplo, no natal existe uma troca de presentes. São presentes que, frequentemente, trazem a marca de um valor monetário.  Quanto “melhor” (mais caro) o presente que se recebe, mais a pessoa se sente valorizada e quem dá mostra seu poder aquisitivo.

Entretanto, se, para muitos, o valor do presente está no quanto custou, para, outros, o que importa é a lembrança e o carinho. Além disso, muitas vezes, aquilo que é dado ao outro como se fosse um presente, não o é de fato, mas sim, uma forma de manipulá-lo e/ou de se exibir.

Qual é, então, o significado de dar e receber presente? Penso que o presente alegria. É importante, que ao dar ou receber um presente, ambos fiquem felizes. Dar presente é uma arte, pois para ser realmente um presente tem que fazer sentido para quem recebe e para isto é preciso ter sensibilidade para perceber o que faria o outro feliz. Muitas vezes, o presente é a ”cara” de quem dá, mas não tem nada a ver com aquele que recebe. Isto ocorre, quando o presente é formal e quase que por obrigação.

Para ser presente é preciso que se tenha a intenção de mostrar que o outro é importante e dizer que este ele está  “presente” em sua vida.  Isto ocorre quando há um cuidado na relação: para quem dá,  desde a escolha até o quando (quem na gosta de surpresas?) e como entregar o presente e para quem recebe, o  agradecer sinceramente.

Até aqui  estamos falando de presentes que veem embalados em caixas ou envelopes. Existe, entretanto, outro tipo de presente que, pode-se dizer, é o melhor – são os presentes invisíveis, aqueles que não são representados por objetos. Um sorriso, uma flor, um aperto de mão, um olhar, uma palavra amiga, um elogio  e tantos outros gestos não programados são, muitas vezes, mais valiosos do que uma jóia ou qualquer objeto caro. Entretanto, esses presentes não são valorizados em mundo em que o ter vale mais do que o ser.

Você se lembra dos presentes invisíveis que já recebeu/deu em sua vida? Possivelmente, foram situações que v. nunca esqueceu.

Um exemplo, de presente invisível é escrever uma frase, um bilhete, uma carta para a pessoa querida. Em minha vida profissional usei inúmeras vezes, a técnica de dinâmica de grupo chamada O presente da alegria. Trata-se de uma dinâmica, que pode ser realizada em empresas, com turmas de escola, em terapia de grupo e de família. Nesta dinâmica é proposto que cada um dos participantes escreva uma mensagem para uma ou mais pessoas do grupo. A instrução é que ela escreva algo que gostaria de falar para aquela pessoa e, que seja  verdadeira.

E, aqui, um convite ao leitor: Antes que v continue a ler, gostaria que pensasse em três pessoas e escrevesse no papel ou mentalmente, um bilhete para cada uma delas, contendo o que você gostaria de lhes falar. Imagine, depois, qual seria a reação dela e o que poderia mudar na relação de vocês.

Eu utilizei  este instrumento, em várias turmas de faculdade e era muito interessante ver a surpresa das pessoas ao receberem bilhetes que não esperava de alguém ou mesmo se surpreenderem com a quantidade (pouco, muito ou nenhum) recebida.  Geralmente, eram momentos  gratificantes e emocionantes, tanto para mim quanto para o grupo.

Em fim, dar e receber presentes não tem mistério, desde que haja amor, amizade, respeito e carinho na relação. Tanto dar quanto saber receber são atos de generosidade e traz infindáveis emoções.

 

 

 



2 respostas para “O PRESENTE DA (DÁ) ALEGRIA”

  1. Dalva Goretti disse:

    Percebi que meu namorado tinha grande dificuldade de comprar presentes para seus familiares, mas se sentia obrigado a fazer isso. Assim, combinei com ele que entre nós não haveria troca de presentes nos dias estabelecidos pela tradição como Natal, aniversário, dia dos namorados. Contudo, quando realmente desejo dar dar algo para ele, eu dou. Na sua última viagem com a filha, genro e netas, ele viu uma camiseta e disse ter se lembrado de mim. Espontaneamente a trouxe. A frase impressa:COLECIONE MOMENTOS E NÃO COISAS. Foi um dos presentes mais significativos que já recebi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.